real estate company logo
javporn
Home Imprensa Notícias Agenersa abre processo para fiscalizar fim de desconto nas tarifas de água em Búzios
Agenersa abre processo para fiscalizar fim de desconto nas tarifas de água em Búzios

O Conselho Diretor da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro (Agenersa) abriu processo regulatório para fiscalizar o fim do desconto que a Concessionária Prolagos S/A concedia nas tarifas de água em Armação dos Búzios, na Região dos Lagos. A decisão foi tomada após reclamação feita pelas associações Comercial e Empresarial, das Pousadas e dos Hotéis do município e anunciada em audiência pública realizada na tarde desta terça-feira (27/09), na sede da Agenersa, onde também estavam presentes representantes da Concessionária, que é responsável pela distribuição de água em Búzios. 

“O processo regulatório foi aberto afim de que possamos verificar se as tarifas estão de acordo com o Contrato de Concessão. Demos um prazo de 72 horas, a partir desta quarta-feira, para que as partes interessadas apresentem documentos a serem inseridos ao processo, que já tem número e relator”, disse o conselheiro-presidente da Agenersa, José Bismarck Vianna de Souza.

De acordo com os comerciantes de Búzios, por causa do fim do desconto, as contas de água tiveram aumento de até 200% nos últimos meses. “As contas explodiram de uma hora para outra... Imagine que você está acostumado a pagar uma conta de R$ 500,00 e este valor pular para R$ 2 mil. Fomos pegos de surpresa”, lamentou o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Búzios, Salviano Lúcio Martins.

Segundo o presidente da Prolagos, Carlos Roma Júnior, o desconto foi a medida encontrada pela Concessionária para incentivar os consumidores a utilizarem água encanada distribuída pela empresa ao invés do uso do carro-pipa. Roma Júnior também explicou que, desde janeiro, a Concessionária tem cobrado as tarifas pelo consumo de água em “cascata” (composta  por faixas de consumo com custo progressivo, isto é, o valor do metro cúbico vai ficando mais caro conforme o consumo aumenta), mas que vai analisar cada caso apresentado pelos comerciantes.

“Nós fomos enquadrados nesse modelo de cobrança no início deste ano e começamos a cobrar a tarifa em cascata, que está previsto em contrato, efetivamente após a alta temporada... Nós já fizemos alguns estudos de quanto determinada categoria de pousadas e hotéis, de tamanho pequeno, médio ou grande consome, mas estamos abertos a entender um pouco melhor se vocês acharem que não está certo, quer dizer, estamos abertos a entender isso”, afirmou Roma Júnior.

A conselheira da Agenersa, Darcília Leite, sugeriu que a realização de campanha educativa para racionalização do uso da água, uma vez que os consumidores não residenciais afirmam não ter como calcular o consumo de água nos seus estabelecimentos. “Esse é um tema ao qual eu sou bastante preocupada. Estou convencida de que a solução de 99% dos problemas está na educação ou na reeducação porque às vezes estamos acostumados de uma maneira e a nossa mudança de comportamento vem em benefício. O que eu digo aqui é sem prejuízo da análise técnica que a Agência tem que fazer, das cobranças em zelar pelo cumprimento efetivo do contrato por todas as partes, essa é a nossa tarefa. Mas, independente disso, eu acredito que a gente sempre pode avançar e as campanhas educacionais sempre têm um resultado muito bom. Não só as feitas pelas pousadas e hotéis, mas pela própria Concessionária com relação ao uso racional da água que todos sabemos que é um bem finito. Ela vem ao encontro da preocupação de todos”, assinalou Darcília.

Também participaram da audiência pública os conselheiros Moacyr Almeida Fonsecae  Sergio Raposo, o assessor Institucional da Prolagos Pedro Alves, os presidentes da Associação dos Hotéis de Búzios, Mauro Lima, e da Associação das Pousadas de Búzios, Enrique Alvarez, e o deputado estadual Jânio Mendes (PDT).

 

rodape.png

Fornecido por Designed by: Joomla 1.5 Template, what is a database storage. Valid XHTML and