real estate company logo
javporn
Home Imprensa Notícias Agenersa fiscaliza atuação da CEG no monitoramento independente de bueiros no Rio
Agenersa fiscaliza atuação da CEG no monitoramento independente de bueiros no Rio

Técnicos da Câmara de Energia (CAENE) da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro (Agenersa) fiscalizaram a atuação da Companhia Estadual de Gás (CEG) no monitoramento independente que a Prefeitura do Rio está realizando na rede subterrânea da cidade. De acordo com a prefeitura, das 154 inspeções realizadas, em dois bueiros, ambos no Centro, foram detectadas a presença de gás com alto índice de explosividade: um na Rua da Carioca com a Praça Tiradentes e outro no Largo da Carioca.

“Além de acompanhar o monitoramento, nossos fiscais também estão atentos aos procedimentos que a Agenersa normatizou para que a CEG aja nos casos como o das duas caixas subterrâneas do Centro, que tinham alto índice de explosividade. A concessionária enviou técnicos para os locais em menos de duas horas e está investigando o que causou esse alerta”, explica o conselheiro-presidente da Agenersa, José Bismarck Vianna de Souza.

De acordo com a prefeitura, o protocolo de emergência foi acionado logo que identificados os bueiros com risco de explosão, e as concessionárias Light e CEG foram informadas imediatamente. Os dois bueiros foram abertos e sinalizados para evitar possíveis acidentes, enquanto as empresas concessionárias tomaram suas providências para solucionar o problema.

O monitoramento independente começou na madrugada desta sexta-feira (12/08) por Copacabana, Zona Sul, e se estenderam pelo Centro do Rio. Neste primeiro dia, o trabalho foi realizado por duas equipes em dois turnos que vistoriaram a Avenida Nossa Senhora de Copacabana, a partir da Rua Francisco Otaviano, em Copacabana, na direção do Leme, além da Rua da Carioca, Rua Sete de Setembro e Praça Tiradentes, no Centro.

As inspeções, que terão duração de seis meses, é uma iniciativa do acordo de cooperação entre a Prefeitura do Rio, Governo do Estado do Rio, Ministério Público e Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro (CREA-RJ).

A previsão é de que sejam realizados por mês 10.000 monitoramentos em Caixas de Inspeção (CI) e Câmaras Transformadoras (CT). O monitoramento de risco deverá ser feito com detectores de gás (explosímetros), com leitura direta, para verificar a presença de gases inflamáveis. Além disso, as equipes técnicas vão realizar varredura com apoio de um termovisor para verificar a existência de temperaturas acima do recomendado nas instalações elétricas. Além do Centro e Copacabana, o monitoramento será realizado em Botafogo, Laranjeiras, Flamengo e Tijuca.

 

rodape.png

Fornecido por Designed by: Joomla 1.5 Template, what is a database storage. Valid XHTML and